Sobre o tratamento

O malte e o extracto de malte aparecem muitas vezes mencionados na composição dos produtos comerciais. Estes produtos podem comer-se?

O malte e o extracto de malte são derivados da cevada e, como tal, têm glúten. Embora o extracto de malte apresente quantidades inferiores ao malte, para algumas pessoas mais sensiveis este poderá ser mais tóxico pelo que, por uma questão de segurança, é necessário excluir todos os produtos alimentares que contenham na composição o extracto de malte.

Então as bebidas alcoólicas, como a cerveja e o uísque?

A cerveja, por ser uma bebida produzida a partir da fermentação de cereais, principalmente da cevada, contém glúten. No entanto, bebidas destiladas como uísque, vodka, gin, etc., mesmo que feitas com cereais com glúten, são isentas pois o processo de destilação retira as partículas de glúten. O vinho resulta da fermentação da uva e, como tal, é isento. Atenção às cidras e licores que podem conter glúten na sua composição.

A maltodextrina/maltodextrose é outra substância que aparece muitas vezes mencionada. Também faz mal?

Apesar de usualmente ser derivada do amido de trigo, a maltodextrina é altamente processada e purificada, estando cientificamente comprovado que a percentagem de glúten presente é tão baixa, ou ausente, que não é detectável analiticamente. É portanto considerada isenta de glúten. Da mesma forma o xarope de glucose é considerado inofensivo, apesar de derivar dos cereais proibidos.

Todos os amidos/amidos modificados contêm glúten?

O amido/amido modificado pode ser feito não só do trigo mas também de cereias isentos de glúten como o milho, a tapioca, a batata, etc. Assim sendo, só o amido/amido modificado derivado dos cereais proibidos é que contém glúten. Quando não é indicada a sua origem não deve consumir antes de confirmar com a marca ou através da analítica.

E o azeite e o vinagre, são isentos de glúten?

O azeite, óleos vegetais e vinagres destilados, mesmo que provenientes de trigo, não contêm glúten. Porém, o vinagre de malte não é destilado, deriva da fermentação da cevada e, como tal, contém uma pequena porção de glúten e deve ser evitado.

Tenho visto que alguns produtos sem glúten incluem o trigo sarraceno. Será seguro?

O trigo sarraceno não é de facto trigo, nem tão pouco um cereal. É 100% seguro para os celíacos, apesar do nome que tem. Da mesma forma existe outro pseudocereal de origem sul americana que não tem glúten, a quinoa.

Com tantas coisas nas prateleiras dos supermercados, como é possível distinguir o que é bom do que é mau para um celíaco?

Por lei todos os produtos embalados devem indicar a sua composição. Há que lê-la com atenção para ver se há alguma referência ás substâncias que contêm glúten (trigo, centeio, cevada, aveia, malte, amido destes cereias, etc.). Tudo seria mais fácil se os produtos sem glúten fossem assinalados com um emblema próprio pelo que a APC, em conjunto com algumas empresas do sector alimentar, está a trabalhar na utilização do logotipo APC nos produtos de uso corrente que sejam isentos de glúten.

Nessa composição há por vezes palavras que deixam dúvidas. Como fazer então?

A regra de ouro do celíaco é: em caso de dúvida não consumir até conseguir o esclarecimento adequado.

Para tal, deverá consultar a lista de ingredientes permitidos/proibidos facultada pela APC.

Se a dúvida persistir contacte a nutricionista da APC ou o próprio fabricante.

Pode portanto ter-se confiança total nestas "composições" impressas nas embalagens?

Em princípio sim. Há que lembrar contudo que elas não são feitas a pensar nos celíacos pelo que é de admitir que possam existir alguns produtos, como a farinha de milho ou arroz, que podem estar contaminadas com pequenas quantidades de glúten sem que isso seja mencionado.

A composição de uma determinada marca de produtos não é sempre a mesma?

Não e por vezes sofre alterações significativas sem que isso implique a sua modificação. Por isso o celíaco deve sempre consultar a composição dos produtos, ainda que compre habitualmente o mesmo produto, para ter a certeza de que tudo continua em ordem.

Por vezes encontro produtos sem glúten feitos à base de aveia, posso consumir este cereal?

A incorporação da aveia na dieta isenta de glúten (DIG) aumenta incontestavelmente o valor nutricional da dieta, mas o seu uso continua a ser controverso. Estudos recentes demonstraram que a longo prazo o consumo de aveia mostrou-se seguro para a maioria das crianças e adultos com DC. A generalidade destes estudos utilizaram aveia pura (não contaminada com glúten de trigo, centeio ou cevada). Ainda assim constatou-se que um pequeno número de indivíduos com DC não consegue tolerar a aveia na sua forma pura.

Quando se fala em Portugal a realidade é diferente, devido à inexistência de empresas especializadas no fabrico de aveia pura. Por esse motivo, continuamos a não recomendar o consumo de aveia, a menos que se possa garantir que se trata de aveia que não contém nenhum vestígio de glúten.

Saiba mais sobre o consumo da aveia e como a introduzir na DIG aqui.

Uma criança com a doença celíaca pode mexer nas farinhas "proibidas"?

Desde que a criança não tenha dermatite herpetiforme, e o contacto com as farinhas seja apenas dérmico, PODE. Ou seja, a criança pode mexer nas farinhas com as mãos desde que seja assegurado que a criança não coloca na boca as mãos com farinha. Na DC o glúten apenas causa lesão aquando da sua ingestão.

Posso utilizar as especiarias para cozinhar sem glúten?

As especiarias e ervas aromáticas sem aditivos não contêm glúten. Atenção, contudo, às misturas de especiarias, como o caril, que podem não ser puras e levar farinha de trigo.

  • Alpro
  • Soria Natural
  • Sovex
  • Apolónia
  • Gullón
  • McDonald’s
  • Pescanova
  • Glutamine
  • Mar Ibérica
  • Celeiro
  • Dr. Oetker
  • Schar